IML identifica corpos encontrados carbonizados em Itaporanga

O Instituto Médico Legal (IML) divulgou a identificação dos dois corpos que faltavam no caso ocorrido no dia 12 de julho deste ano.

IML divulga identificação de dois corpos carbonizados em Itaporanga(Foto: Portal Infonet)

O Instituto Médico Legal (IML) divulgou a identificação dos dois corpos que faltavam no caso dos três homens que foram encontrados carbonizados dentro de um veículo na divisa de São Cristóvão com Itaporanga D’Ajuda, no dia 12 de julho deste ano.

Trata-se de Alisson Araújo Silva, de 26 anos, e Wesley de Oliveira Romão, 24. Luís Fernando Andrade Silva foi a primeira vítima a ser identificada, pela avaliação de sua arcada dentária.

O processo de análise foi realizado no estado de Pernambuco, porque o setor responsável por este tipo de processo está, agora, em uma nova sede, e este tipo de trabalho só será feito a partir do próximo ano.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), Wesley é natural do estado de São Paulo. A família já foi informada, mas ainda não fez a retirada do corpo.

O caso

O grupo acusado de ter cometido este crime, que chocou todo o Estado, já foi preso pela Polícia Civil. O delegado Hugo Leonardo, do Complexo de Operações Especiais (Cope) classificou o grupo como violento e organizado e, segundo ele, a morte de Alisson, Wesley e Luís Fernando foi provocada por ciúmes de uma mulher, que gerou uma briga em bar.

O delegado detalhou que as três vítimas foram mortas por enforcamento. Eles foram levados a uma estrada entre São Cristóvão e Itaporanga. Os suspeitos ainda desferiram tiros e atearam fogo nos corpos já sem vida. “Eram bastante violentos, cometeram quatro homicídios comprovados e há mais sendo investigados pelo DHPP. Matavam rivais do tráfico e quem se metesse no caminho deles. Há um crime anterior também, onde um homem teve sua cabeça arrancada em Itaporanga. […] Estavam prontos para assassinar três desafetos e adiantamos para evitar os homicídios e o crescimento das estatísticas”, disse em entrevista coletiva no último dia 31 de agosto.

Ainda segundo as investigações, os três amigos que foram mortos não tinham ligação com o crime e não eram conhecidos do grupo criminoso.

Por Victor Siqueira

Comentários