Valadares Filho fará esforço para manter Luciano e Lucas Aribé no PSB

“Estou otimista com o futuro do PSB”, diz Valadares Filho

O deputado federal e presidente estadual do Partido Socialista Brasileiro (PSB) Valadares Filho disse olhar com otimismo para o futuro da sigla em Sergipe. Apesar das cogitadas saídas de Luciano Pimentel, deputado estadual, e Lucas Aribé, vereador de Aracaju, e as influências negativas dessas possíveis baixas, o segundo colocado nas eleições para Governo deste ano garantiu que irá resolver o assunto internamente.

“Essas questões não são definitivas. O próprio Luciano registra que se eu for candidato, votará em mim, deixa isso claro em todas as declarações. Existem aspectos internos que eu como presidente devo resolver. Com Lucas é a mesma coisa. Já tinha tido conversa com ele ano passado sobre o mesmo assunto, ele se sentia desconfortável dentro do partido em relação a algumas pessoas. Fiz um apelo e continuou. Farei da mesma forma. Todos temos a melhor das relações, vamos debater internamente. São dois parlamentares eleitos pelo PSB, fizeram história dentro do partido”, destacou.

Para Valadares, o legado das eleições deste ano tornou o PSB mais forte. “Estou muito otimista com o futuro do PSB, por conta da posição política que fizemos. Somos a referência da oposição, tenho legado eleitoral e o partido reconhece isso. A partir de fevereiro ou março colocaremos o pé na estrada para fortalecer ainda mais o partido, com políticos de Aracaju e do interior. Há um patrimônio político construído”.

Perdas no Congresso

Os mandatos de Valadares Filho como deputado federal e de Antônio Carlos Valadares como senador terminam este ano. O primeiro abriu mão de buscar a reeleição como deputado federal para disputar o Governo do Estado; o segundo não conseguiu se eleger.

Além disso, outros candidatos da coligação não obtiveram êxito no pleito eleitoral. Valadares Filho avalia, porém, que mesmo com estas perdas, o PSB mantém seu papel de destaque. “Esta perda de dois parlamentares foi para cumprir uma missão. Eu poderia continuar com meu mandato de deputado federal. Cheguei no segundo turno defendendo uma batalha, uma concepção, e o partido valoriza isso. Não é só pela eleição, mas pela posição política e pela boa batalha. Claro que queríamos o Governo e o Senado, mas tivemos um destaque que deixa o PSB na linha de frente. A partir do momento em que fomos para o segundo turno, a gente teve a consciência de que o partido cumpriu o seu papel, da nova política, das mudanças de ideia. Não é só pelo resultado pragmático”, finalizou.

Por Victor Siqueira

Comentários