Movimentação de passageiros deve crescer 6% no Aeroporto de Aracaju

Durante alta temporada, são esperados 81.500 milhões de passageiros

Aeroporto Santa Maria: esperados 760 voos entre final de dezembro e começo de janeiro

O movimento de passageiros no Aeroporto Internacional de Aracaju/Santa Maria (SE) deve crescer 6% de 17 de dezembro a 6 de janeiro e 3% no fluxo de aeronaves, em virtude das festas de final de ano. São esperados 760 voos e aproximadamente 81.500 milhões de passageiros, entre operações de embarques e desembarques, cerca de 5 mil a mais que no mesmo período do ano passado, quando foram registrados 735 pousos e decolagens e 76,3 milhões de usuários.

 
Os dias de maior fluxo deverão ser aos sábados (22 e 29/12 e 5/01), com cerca de 4.000 mil embarques e desembarques. Para garantir a fluidez nas operações durante o período, a Infraero adotará uma série de iniciativas de reforço em toda a Rede, como a intensificação dos trabalhos das equipes de segurança e de operações, incluindo as de plantão, por meio de remanejamento das escalas de trabalho, assim como a realização de manutenções preventivas em equipamentos – esteiras de bagagens, elevadores e escadas rolantes, entre outros.


Nos 45 aeroportos da Rede Infraero com voos regulares, a expectativa, no período, é de receber cerca de 5 milhões de passageiros, entre embarques e desembarques. Este número é próximo ao movimento realizado entre 18/12/17 e 7/1/18, quando 5,06 milhões de pessoas chegaram e partiram nos mesmos terminais.


A estimativa considerou a oferta de assentos das companhias aéreas para a alta temporada 2018/2019 e orientou um plano de ação que dará fluidez, conforto e segurança a quem vai viajar de avião. Já o movimento de aeronaves deve ser de aproximadamente 42 mil pousos e decolagens no período. Na temporada passada, foram 42,7 mil chegadas e partidas.

 

Os trabalhos foram iniciados em novembro, quando manutenções preventivas priorizaram esteiras de despacho e restituição de bagagens, sinalização de pista, pontes de embarque, escadas rolantes, raios-x e detectores de metal, entre outros. "Esse cuidado prévio vai garantir que passageiros, companhias aéreas e demais clientes dos nossos aeroportos tenham uma passagem tranquila pelos terminais, sejam eles de grandes cidades ou do interior do Brasil, afirma o diretor de Operações Serviços Técnicos da INFRAERO, João Márcio Jordão.

 

O monitoramento dos aeroportos também será reforçado com supervisores em todas as etapas de embarque e desembarque.  Eles terão capacidade para atuar na correção de qualquer situação que possa prejudicar as operações. Junto com eles, equipes de limpeza e manutenção vão intensificar suas atividades, com atenção especial para os horários de maior movimento, garantindo que a demanda seja bem atendida.

 
Convergência

 

As operações nos aeroportos de Congonhas, Santos Dumont, Curitiba, Recife e Manaus serão coordenadas pelos Centros de Gerenciamento Aeroportuário (CGA) localizados nestes terminais. O objetivo acompanhar, em tempo real, o funcionamento das instalações e conceber e implantar medidas para melhorar o funcionamento destes terminais para passageiros e aeronaves nas 24 horas do dia.

 

O CGA é composto por representantes da Infraero, Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Polícia Federal, Receita Federal, Vigilância Sanitária, Vigilância Agropecuária e companhias aéreas. A gestão ocorre de maneira compartilhada, baseada nas informações e recursos fornecidos pelos integrantes do Centro. "A reunião de agentes no aeroporto permite à Infraero detectar as necessidades específicas de cada terminal com antecedência, garantindo a melhor atuação nas operações", explica o superintendente de Gestão da Operação, Marçal Goulart.

 

Nos demais aeroportos, a coordenação é feita pelo Núcleo de Acompanhamento e Gestão Operacional (Nago). Localizado em Brasília, ele monitora todos os aeroportos da Infraero e alinha ações para assegurar que todas as etapas da operação de um aeroporto tenham fluidez e segurança.

JL POLÍTICA.

Comentários