Juíza decreta prisão de dois assessores de Valdevan e uma está presa

Polícia Federal tenta prender um outro assessor do deputado federal

A juíza Soraia Gonçalves, da 2a Zona Eleitoral de Aracaju, decretou a prisão de dois assessores do deputado federal eleito José Valdevan de Jesus Santos, o Valdevan Noventa (PSC). Uma das assessoras, Carina Liberal, foi presa na manhã desta terça-feira, 18, quando se apresentou na sede da Polícia Federal para ser interrogada e o outro, João Henrique, acusado de supostamente ser um dos responsáveis pela distribuição de recursos para que as supostas pessoas aliciadas fizessem as doações à campanha do então candidato, ainda está sendo procurado pelos agentes da Polícia Federal.

De acordo com informações do delegado Antonio José Silva de Carvalho, do núcleo de combate ao crime organizado da PF, os assessores já estavam sendo procurados e como não foram localizados a alternativa foi solicitar o mandado judicial. Conforme o delegado, a assessora Carina Liberal foi apresentada à Polícia Federal por um dos advogados de defesa, mas no momento em que ela se apresentou, a Polícia Federal já tinha em mãos o mandado judicial pela prisão preventiva da acusada.

“E estamos agora tentando prender o João Henrique”, informou o delegado. A prisão dos assessores é consequência das investigações por suposta fraude nas doações realizadas por pessoas físicas de baixa renda à campanha do então candidato Valdevan Noventa. O deputado eleito e o assessor Evilázio Ribeiro da Cruz foram presos no dia 7 deste mês em um restaurante na Praia de Atalaia, em Aracaju, em cumprimento a mandado judicial expedido pela juíza Soraia Gonçalves. Os dois foram presos, acusados de orientar testemunhas a prestar depoimento falso.

As investigações estão sendo conduzidas pela Polícia Federalpor solicitação da Procuradoria Regional Eleitoral de Sergipe, órgão vinculado ao Ministério Público Federal. De acordo com os levantamentos da Polícia Federal, cerca de 33,5% das 86 pessoas que fizeram as doações para a campanha eleitoral de Valdevan Noventa são beneficiários do Bolsa Família e a grande maioria é formada por pessoas de baixa renda que, pelo perfil econômico, não teriam condições de doar R$ 1.050,00 para a campanha de um candidato.

Como consequência destas irregularidades apontadas pelo MPF, a Justiça Eleitoral também instaurou uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), que culminou com a suspensão da diplomação do deputado eleito. A solenidade de diplomação dos candidatos eleitos aconteceu no final da tarde da segunda-feira, 17, sem a presença de Valdevan Noventa, que aguarda os desdobramentos das investigações no presídio de Estância.

O advogado Rodrigo Campos, que integra a equipe de defesa do deputado federal eleito e dos assessores investigados na esfera criminal, informou que a equipe já tinha conhecimento da prisão de Carina Liberal. Mas a defesa, segundo Rodrigo Campos, ainda não definiu a estratégia para livrá-la da prisão. Rodrigo Campos informou que se reunirá com a equipe jurídica para analisar o teor do mandado de prisão para que as medidas judiciais sejam adotadas.

Por Cassia Santana

Comentários