Sérgio Sobral do Creci vê luz no túnel do mercado imobiliário com Guimarães na Caixa

Para o presidente do Creci é preciso enaltecer a iniciativa de estabelecer parcerias com o Banco do Nordeste e o Banco do Brasil

A convite da Caixa Econômica Federal, o diretor secretário do Conselho Federal de Corretores de Imóveis – Cofeci - e presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Sergipe - Creci-SE -, Sérgio Sobral, esteve presente nas solenidades de posse e transmissão de cargo do novo presidente da instituição financeira, o economista Pedro Guimarães.

O evento aconteceu na última segunda-feira, 7, nas dependências do Salão Nobre do Palácio do Planalto e no Teatro da Caixa Cultural no Setor Bancário Sul, em Brasília. Durante o evento, Sérgio Sobral conversou com o novo presidente Pedro Guimarães, com o vice-presidente Marcelo Prata e com o ex-presidente Nelson de Souza.

“As metas mencionadas por Guimarães impactam positivamente no crescimento do mercado imobiliário. Por exemplo: aumentam o microcrédito a comunidades carentes, que como bem sabemos ainda representam um déficit habitacional grande, e atendem às empresas menores”, disse Sérgio.

“Estamos falando do quinto maior banco do mundo, então é muito importante que esteja à frente de sua administração um economista com visão e experiência de mercado. Guimarães nos apresentou medidas que certamente revolucionarão para melhor o mercado imobiliário”, disse o presidente do Creci Sergipe.

Durante o discurso, Guimarães informou que nas próximas semanas visitará todos os estados brasileiros para ouvir a população. “Estaremos esperando por ele em Sergipe, sem dúvidas”, disse Sergipe.

“É do nosso interesse que micro e pequenos empreendedores sejam contemplados com essa ampliação do microcrédito, bem como as famílias mais carentes tenham oportunidade de adquirir sua casa própria. Acredito que essas medidas são um passo consistente rumo ao fortalecimento do mercado imobiliário sergipano”, pontuou Sérgio.

Para o presidente do Creci, é preciso enaltecer a iniciativa de estabelecer parcerias com o Banco do Nordeste e o Banco do Brasil nas operações de microcrédito, mencionada pelo presidente da CEF.

JL POLÍTICA

Comentários